quarta-feira, 20 de setembro de 2006

P: Sagrado & Profano


Andando nas ruas...
Sendo possuído por pensamentos poluídos,
mais forte do que uma palavra de amor de mãe.
Observando sem observar,
agindo sem agir,
querendo sem querer

Quem é o culpado?
O que fizeram? O que fizeram?
Será que errei?  
Será que erraram?
Ou será que o erro ainda impera?
Quem é o culpado?

A pureza existe?
Se existe,
por que não se propaga?
Porque se apaga
como um sopro da libido,
libidinoso, perdido, dividido.
Olhando ou se tentando achar,
errando mas vivendo,
pra quê?
Para se ferir...
Qual o propósito?

Um ímam positivo e negativo
em qual extremo você atrai?
Devido a energias acumuladas
e perdidas no tempo,
no vento.
Quem controla?

Acredito para não loucar,
pirar,
me matar,
ou me matando aos poucos...