quinta-feira, 8 de fevereiro de 2007

P: Sublime



E vai explicar...
O mais belo e o mais odiado,
o mais desejado e o mais desesperado.
Quando não se têm
é o mais procurado.
Nos encarna
como tatuagem
irreparável,
fulminante.

Um bote de uma mamba black,
mas sem antídoto para dissolução.
Leve quando leve estamos,
puro quando puro estamos
e drástico quando assim ficamos.

Tem de saber,
aprender,
tem que viver
para podermos vivenciar
a felicidade proporcionada.
A serenidade
é a melhor amiga,
a raiva explodida
é a pior inimiga.
Viver com ele
é para poucos,
sem ele quando nele estamos
é para tristes.

Respeitá-lo para pacientes,
desrespeitá-lo para burros,
pois nunca morre,
apenas adormece
como um dragão
em seu poço fundo e fervente.
Plana no ar...
ou expeli fogo!