sábado, 11 de julho de 2009

P: Pulsão de Vida

Da janela do meu quarto
já flagrei abraços


Flagrei sinapses
de pura graças.


Da janela do meu quarto,
há desejos


Em seu passar,

ouço vozes
ao vento sussurrar

Levanto meus braços,
um teto que sufoca.


Ao chão
me ajeito.

Junto ao chão
encolho

e
me estico.
Neste impulso,
sinto a vida

tocar
meu corpo novamente.