segunda-feira, 27 de julho de 2009

Game Over! baby

sábado, 18 de julho de 2009

Brooklyn Restaurante SP



Vale a pena conhecer... fui com uns amigos de NY que me levaram hj neste encantador restaurante, com apresentações mto intimistas dos garçons cantores; Mto agradavel!

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Vem com a Farinha, que te dou o Bolo!

domingo, 12 de julho de 2009

Bar do Netão

Faz algum tempo que quero fazer um pequeno guia pra São Paulo. Sinto a cidade em mudança e num momento interessante tbm, sem restrições, como esta grande cidade deve ser, pois é uma incógnita constante, com muitas pessoas cafonas, exóticas, sem e com personalidade e claro muita gente interessante.
Conheci um boteco na Augusta onde me senti quase numa taberna em Paris ou Barcelona. Claro que no ponto de vista da rua Augusta, né. Esta, que é uma das mais famosas de São Paulo. E de onde tenho algumas estórias bem marcantes; foi palco de um término de um dos meus relacionamentos.
É um boteco, que tornou-se uma baladinha mais light, friendly, bem mix e bem alternativo! Local de passagem pra muita gente que vai continuar a noitada noutro lugar ou que vai ficar por lá mesmo. Rindo da e na rua Augusta, se é que me entendem. O som varia dependendo do dj, desde rumba eletrônica até electrotechno. Ah... Se trombarem com a vendedora dos cigarrinhos naturais será risada na certa!


Estou assim

Como é louca a vida... te pega de jeito, dá um nó na sua cabeça e te faz pensar, raciocinar... Eu sendo INTP; Meu pensamento é igual ao equalizador de um som :.:.: não pára nem qdo durmo. E minha intuição berra em meus ouvidos, isso chega a ser cruel...
Bom, estou com projetos novos, neste momento tento canalizar em boas energias e muita força pra tocar isso.

Mudando de assunto;
Não tive paciência pra logar um twitter... não sei porque, mas ainda me cheira a babaquice. Tenho facebook, orkut, blog, msn, email, sms.... Penso que dá pra expressar com esses, ou não ?

sábado, 11 de julho de 2009

P: Pulsão de Vida

Da janela do meu quarto
já flagrei abraços


Flagrei sinapses
de pura graças.


Da janela do meu quarto,
há desejos


Em seu passar,

ouço vozes
ao vento sussurrar

Levanto meus braços,
um teto que sufoca.


Ao chão
me ajeito.

Junto ao chão
encolho

e
me estico.
Neste impulso,
sinto a vida

tocar
meu corpo novamente.